Sobre nós

MUTE é uma plataforma de Arte Contemporânea sediada na zona do Príncipe Real (Lisboa) dirigida por Manuel Furtado com o apoio de Zica Viana, Filipa Reis e Leonor Vilhena, que tem por missão democratizar o acesso à Arte Contemporânea. Durante os primeiros três anos, celebrados em Setembro de 2017, o projecto dinamizou exposições mensais, sem interrupções, já tendo apresentado até ao momento mais de 40 artistas, promovido e produzido vários concertos de música contemporânea, múltiplas tertúlias temáticas, performances e lançamentos de livros. Igualmente relevante foi a organização de nove residências de artistas de países tão diversos como Chile, Brasil, Estado Unidos da América, Polónia, França, Escócia, Canadá e Alemanha. Foi assim que promovemos relações de partilha entre artistas nacionais e internacionais, mas pretendemos acima de tudo criar cada vez mais uma comunidade vibrante de partilha de pensamentos e vivências dentro do mundo da Arte e tudo o que se relaciona com ele. Em Fevereiro de 2017 iniciámos o nosso projecto pedagógico tendo já realizado 2 cursos teóricos que esgotaram. Esta será uma área do projecto que irá certamente crescer no futuro.

 

Horário: das 15:30 às 19:30 de segunda a sexta-feira (excepto feriados) 

 


 

Director:

Manuel Furtado 

Vive e trabalha em Lisboa.
Iniciou o projecto MUTE, tendo definido a programação, concebido o próprio espaço físico e criado os objectivos desta plataforma de arte contemporânea. Mestrado em Instalação pela Central Saint Martins School of Arts (2007) e licenciatura com distinção em Escultura pela Coventry University (2005).
Investiga, ensina e expõe em Portugal e Inglaterra desde 2003 na área da escultura, instalação, fotografia e pintura. Tem trabalho em colecções privadas em Portugal, Inglaterra, Austrália, Alemanha e 3 colecções públicas em Inglaterra. Trabalhou com a Galeria Edge-Arts e com a Galeria Sopro entre 2008 e 2014. Ensinou cursos práticos e teóricos de artes visuais na Escola Arte Ilimitada entre 2009 e 2016. Curador de múltiplas exposições e eventos na MUTE, leccionou na Summer School de Arte e Ciência da Universidade de Massachusetts no Alentejo, organizado por Cultivamos Cultura (2017), executou várias encomendas de grandes dimensões de 2005 a 2017 e está a programar com outros dois curadores o FACTT (Festival de Arte e Ciência) a realizar em Setembro de 2017 no MAAT (Lisboa), Nova York e Cidade do México. Estudou medicina durante 2 anos na Faculdade de Medicina de Lisboa e frequentou o 3º ano no curso de Engenharia Biológica Instituto Superior Técnico.

 


 

Fundadora e Mecenas

Zica Viana

Vive e trabalha em Oeiras (n.1954, Lisboa) é activista no movimento associativo ligado à cidadania, designer de interiores, mãe de família, coleccionadora de arte contemporânea e mecenas das artes. Formou-se em design de interiores em 1973 pelo IADE.

Trabalhou na Blanchard portuguesa durante um ano. Desenvolveu múltiplos projectos como freelancer no âmbito do design de interiores e de peças únicas de mobiliário. Colaborou com uma produtora de televisão nos decors de séries de 1989 a 1990. Presidente de associações de pais e da Civitas de Oeiras de 1987 até 2017. Foi sócia fundadora da Arte Contempo e do projecto MUTE da qual é única mecenas até ao momento presente.

 


 

Co-curadora e responsável pelas residências:

Filipa Reis

Vive e trabalha em Lisboa.
Licenciada em História da Arte pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa; Estudou Fotografia no Ar.Co, Lisboa. Ao longo do seu percurso podemos destacar a selecção para a Mostra Jovens Criadores, na área de Fotografia, do Centro Português de Artes e Ideias, em duas edições diferentes – 2010 e 2012. Realizou uma residência artística em Pequim (2011), tendo-se estabelecido temporariamente nessa cidade, onde desenvolveu a sua pesquisa em fotografia, paralelamente a outras iniciativas: organizou open studios, integrou a equipa da tertúlia The Sarau Project, foi responsável pelo programa curricular e formação de aulas de artes plásticas para crianças – CAFA – Central Academy of Fine Arts e colaborou em regime de voluntariado na organização não governamental World Culture Open, na área de gestão cultural e de organização de eventos. Foi co-curadora e artista da exposição itinerante Nevermind The Space Between Us, que teve lugar em Heiqiao, Pequim e na Fábrica do Braço de Prata, em Lisboa, em 2013. Em Dezembro de 2014 apresentou a exposição individual Topofilia #2 na Mute, em Lisboa, tendo também participado na exposição colectiva MUTE I ANO, em Julho de 2015. Em Novembro de 2015 apresentou a exposição individual Topofilia #4 no Edge Arts, em Lisboa, onde foi lançada uma publicação com o mesmo título, que integrou a Feira do Livro de Autor de Lisboa, no Arquivo Fotográfico de Lisboa. Desde Janeiro de 2016 que começou a colaborar com Manuel Furtado dos Santos na programação e gestão de residências artísticas da Mute.

 


 

Assistente de galeria:

Leonor Vilhena

Vive e trabalha em Lisboa.

Encontra-se a concluir o Mestrado em Museologia que iniciou em 2015 na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova. A dissertação que está a escrever tem por título Fundação Calouste Gulbenkian: duas décadas de exposições de arte (1957-1979), com orientação científica de Joana Baião e co-orientação de Alexandra Curvelo.

Frequentou a Escola Artística António Arroio, na qual se especializou na área de Produção Artística – Ourivesaria.
Terminou a Licenciatura em História de Arte (2012-2015) na mesma faculdade onde está a concluir o mestrado, tendo feito o estágio curricular na MUTE. Nesse período de 6 meses envolveu-se profundamente em todas as componentes do projecto tento participado em todas as dimensões e funções da nossa plataforma. Ficou de tal forma ligada ao projecto que já desenvolveu autonomamente a curadoria de uma exposição (Abscôndito – Nuno Lacerda) e de uma performance (Edkina Collective). 

 


 

Parcerias:

bairro arteinst